IMG-LOGO
Home > Variedades > Flávio Bolsonaro e Fabrício Queiroz têm sigilo bancário quebrado
Variedades

IMAGEM: Foro: reprodução redes sociais

Flávio Bolsonaro e Fabrício Queiroz têm sigilo bancário quebrado

A decisão, de autoria do juiz Flávio Nicolau, atende a pedido feito pelo Ministério Público do Rio.
Por Pedro Neri - 13 De Maio De 2019, 07:05 PM


Segundo o site ‘Renova Mídia’, o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro autorizou a quebra do sigilo do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) e do ex-policial militar Fabrício Queiroz, que trabalhava em seu gabinete na Assembleia Legislativa do Rio.
A medida havia sido autorizada no dia 24 de abril e mantido em sigilo até esta segunda-feira (13).

Também terão informações bancárias averiguada:
Esposa do parlamentar, Fernanda Bolsonaro;
Empresa do casal, Bolsotini Chocolates e Café Ltda;
Duas filhas de Queiroz, Nathalia e Evelyn;
Esposa do ex-assessor e motorista, Marcia.

Segundo o InfoMoney, a quebra de sigilo foi autorizada no período entre janeiro de 2007 e dezembro de 2018. Também foi autorizada a quera do sigilo fiscal dos investigados entre 2008 e 2018.

A decisão se estende a outros 88 ex-funcionários do gabinete do pesselista, seus familiares e empresas relacionadas a eles.
Na última semana, a Justiça do Rio de Janeiro também determinou a quebra do sigilo bancário e fiscal do presidente da Alerj, o deputado estadual André Ceciliano (PT).

Ceciliano é investigado por movimentação financeira suspeita, a partir da Operação Furna da Onça — mesma em que Flávio Bolsonaro está envolvido — promovida em novembro de 2018 pela Lava Jato no Rio.
Segundo um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF) anexado à investigação pelo MP-RJ, três servidores ligados a Ceciliano movimentaram R$ 45 milhões no período de janeiro de 2016 a janeiro de 2017.


Compartilhar: