IMG-LOGO
Home > Política > CEARÁ: Heitor Freire sugere destruição de chassis de motocicletas para combater a criminalidade

Política

IMAGEM: Heitor Freire em entrevista à Radioweb BrasilNordeste. Foto: RBN

CEARÁ: Heitor Freire sugere destruição de chassis de motocicletas para combater a criminalidade

PL de deputado federal sugere destruição de chassis de motocicletas para combater a criminalidade. Freire justifica que veículos, oferecidos em leilões, são usados para locomoção de bandidos e ainda causam acidentes.
Por Marcelo Jorge - 10 De Junho De 2019, 12:49 PM


O destino de motos destruídas, que tenham donos não localizados após seu roubo e recuperação, ou os proprietários querem se desfazer delas, costuma ser o leilão. E é aí que um ciclo começa: o veículo, que deveria servir exclusivamente como sucata, retorna para as ruas porque o chassi é criminosamente reaproveitado. A motocicleta, então, arrematada na maioria das vezes por pessoas jurídicas, serve de meio de locomoção para bandidos espalharem violência.

Para acabar com esse ciclo criminoso e clandestino, o deputado federal Heitor Freire (PSL-CE) elaborou o Projeto de Lei 3156/2019, que determina o corte e destruição do chassis em motos vendidas como sucata.
"Precisamos assegurar a inutilização desses veículos, pois não servem mais ao propósito de seu arremate nos leilões, como o reaproveitamento de algumas peças, por exemplo. O que vemos é a comercialização clandestina de motos que param nas mãos de bandidos", afirma o parlamentar.

Os roubos de carros e motos, no Ceará, ultrapassaram 400 ocorrências só no primeiro mês de 2019. Uma média preocupante: 13 veículos roubados por dia no estado. Os furtos chegaram a 267 casos, de acordo com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social. Já a Superintendência de Seguros Privados (Susep) tem no topo da lista do Índice de Veículos Roubados os modelos de motos Yamaha (até 450 cilindradas).

"Vale lembrar que motos provenientes de esquemas criminosos também são pilotadas por condutores que não tem experiência, tampouco habilitação ou qualquer outra documentação, e que ainda colocam em risco a vida de outros motoristas e pedestres no trânsito", destaca Heitor Freire.

Só em setembro do ano passado, por exemplo, o número de pessoas que ficaram feridas e morreram em acidentes de trânsito envolvendo motocicletas ultrapassou 15 mil no estado do Ceará. Já o Departamento Nacional de Trânsito aponta que, até o ano passado, o país tinha 22 milhões de motos e, apesar de representar apenas 27% da frota nacional, o veículo concentrava o maior índice de indenizações pagas no Brasil.

"Com a destruição do chassi queremos dar mais segurança ao trânsito e combater a criminalidade e a clandestinidade", conclui Heitor Freire.
O PL 3156/2019 aguarda o despacho do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, para ser encaminhado às comissões da Casa.


Compartilhar: