IMG-LOGO
Home > Política > QUESTÃO FECHADA: PSDB decide apoiar Reforma da Previdência,

Política

IMAGEM: O pernambucano Bruno Araújo, atual presidente do PSDB diz confiar na reforma e no relator, que também é tucano. Foto: Arquivo

QUESTÃO FECHADA: PSDB decide apoiar Reforma da Previdência,

Conhecida como fechamento de questão, essa decisão prevê que deputados e senadores que descumprirem a determinação da executiva nacional do partido podem ser punidos e até mesmo expulsos da sigla.
Por Marcelo Jorge - 11 De Junho De 2019, 08:44 PM


Em uma decisão chamada de “fechamento de questão” que no jargão político significa que os membros do seu partido devem votar com fidelidade total a decisão do seu comando, sob pena de punição e até mesmo de expulsão, o PSDB determinou por maioria, nesta terça-feira (11) que todos os seus parlamentares devem votar a favor da reforma da Previdência, mas deixou alguns pontos da proposta em aberto.

O novo texto da reforma da previdência deve ser apresentado nesta quinta feira (13) pelo relator, Deputado Samuel Moreira (PSDB-SP).
Desta forma, a decisão do partido é para que os 30 deputados e os oito senadores do partido votem a favor do texto-base da proposta, mas os parlamentares devem ter liberdade para as votações específicas -os destaques.
O presidente do partido, Bruno Araújo, disse que, assim, a legenda respeita as regionalidades e especificidades de cada parlamentar. Os destaques podem modificar o projeto da reforma da Previdência.

O PSDB diz, contudo, que a decisão impede que os parlamentares votem a favor de emendas que desfigurem a reforma.
A permanência ou exclusão dos estados e municípios da reforma, no entanto, ainda é um dos assuntos mais polêmicos. Segundo Bruno Araújo, a decisão do partido, por enquanto, não determina como os parlamentares devem se posicionar sobre o tema. Por outro lado, os governadores tucanos defendem que haja efeito imediato da reforma da Previdência para os servidores estaduais.

"Queremos deixar clara a posição política de que o PSDB é a favor da reforma e a confiança no relator, que é tucano", disse o presidente da sigla.


Compartilhar: