IMG-LOGO
Home > Nacional > MAIS BOMBA: Ex governador do Rio, Sérgio Cabral diz que intermediou caixa 2 para campanha de Lindbergh Farias em 2010

Nacional

Imagem: O ex senador petista Lindbergh Farias (E), que perdeu as últimas eleições foi denunciado por Sergio Cabral. O carinho da foto fica para a história. (Imagem: redes Sociais)

MAIS BOMBA: Ex governador do Rio, Sérgio Cabral diz que intermediou caixa 2 para campanha de Lindbergh Farias em 2010

Preso e condenasdo a quase 200 anos de prisão, Cabral disse que convenceu o empresário Arthur César de Menezes Soares Filho, conhecido como "Rei Arthur", a ajudar na campanha do petista
Por Marcelo Jorge - 01 De Julho De 2019, 07:48 PM


Em mais um episódio que acentua a força da corrupção no país, o ex-governador do Rio de Janeiro, Sergio Cabral, afirmou à Justiça Federal, nesta segunda-feira (01), que em 2010 convenceu o empresário Arthur César de Menezes Soares Filho , conhecido como "Rei Arthur", a ajudar na campanha de reeleição.
Sergio disse que ganhou mais R$ 5 ou R$ 6 milhões. Mas, pediu recurso também para a campanha de Lindbergh Farias (PT) ao Senado. Ele concorria na chapa de Cabral.

"Como em 2010 a campanha era grande, voltei a solicitar (ajuda de campanha) para mim. Deve ter dado R$ 5 milhões ou R$ 6 milhões, mas eu precisava de recursos para o senador Lindbergh Farias . Ele deu ajuda a Lindbergh, mais de R$ 5 milhões", declarou Cabral no depoimento.

O emedebista contou ainda que começou a campanha de 2010 com US$ 50 milhões e terminou com US$ 100 milhões em virtude de vários valores recebidos no processo eleitoral, não só do Rei Arthur. Esse dinheiro foi repatriado após ser entregue pelos doleiros delatores Renato e Marcelo Chebar.

Assim como Cabral , Lindbergh Farias acabou eleito senador pelo Rio de Janeiro naquele ano. O petista recebeu mais de 28% dos votos, terminando na primeira colocação. O ex-governador passou a assumir os seus crimes e delatar ex-aliados da política que ajudaram em suas eleições.
Além de Lindbergh Farias , já foram citados pelo emedebista o ex-governador Luiz Fernando Pezão, o ex-prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes e ex-secretários.


Compartilhar: