IMG-LOGO
Home > Cultura > Abertura do Palco Instrumental do FIG traz artistas da cena pernambucana

Cultura

IMAGEM: Pernambuco encheu o palco instrumental de arte e música. Foto: Daniela Batista

Abertura do Palco Instrumental do FIG traz artistas da cena pernambucana

O polo, localizado Parque Ruber Van Der Linden, contou a participação do Mestre Chocho, nomeado Patrimônio Vivo de Pernambuco
Por Marcelo Jorge - 24 De Julho De 2019, 10:17 AM


(Com informações da SECOM - Garanhuns) -
O final da tarde desta terça-feira (23) foi marcado pela estreia do Palco Instrumental no 29° Festival de Inverno de Garanhuns. Localizado no Parque Ruber van der Linden, o Pau Pombo, o polo recebeu uma programação repleta de artistas pernambucanos, incluindo o Patrimônio Vivo de Pernambuco, Mestre Chocho, que se apresentou junto ao grupo Unidos dos Guararapes.

O grupo Baião Di Três foi a primeira atração a se apresentar. Criada há mais de 10 anos, a banda garanhuense formada por Aldecy Souza (piano), Bruno Fonseca (bateria) e Joãozinho Souza (contrabaixo), já abriu a programação do polo na edição do FIG em 2001. “Para nós é uma satisfação muito grande abrir um polo que traz artistas tão reconhecidos nacionalmente. Ficamos muito felizes, principalmente por sermos daqui de Garanhuns”, comentou o baterista, Bruno Fonseca.

Otaviano do Monte, o Mestre Chocho, é considerado Patrimônio Vivo do Pernambuco e trouxe toda a magia do choro, estilo musical que remonta o século XIX, para o Palco Instrumental. Com mais de 70 anos de carreira, ele se apresentou junto ao grupo Unidos dos Guararapes e cantoras do bloco lírico “Com Você No Coração”.

A aposentada Erivan Azevedo mora em Garanhuns e comenta que o Palco Instrumental é um de seus preferidos. “Esse polo é excepcional, eu adoro música instrumental e venho todos os anos. Gostei muito da apresentação do Mestre Chocho”, explicou.

O músico Augusto Silva e o projeto Frevo Novo trouxe arranjos e composições da nova geração de maestros e arranjadores de frevo do Recife e animaram o público. Clássicos do ritmo pernambucano também ecoaram no Pau Pombo. Quem encerrou a noite foi o Maestro Duda, juntamente com sua orquestra, criada há 58 anos. Aos 84 anos de idade, o regente, compositor, arranjador e instrumentista de Goiana (PE), fez uma viagem de ritmos, relembrando os antigos bailes de salão.

Assessoria de Comunicação Social e Imprensa — (ACSI)
Texto e fotos: Daniela Batista — (Secom/PMG)

Foto: Daniela Batista


Compartilhar: