IMG-LOGO
Home > Nordeste > Salgueiro: A energia e a logística podem revigorar o Sertão pernambucano.

Nordeste

Imagem: O que o município deverá buscar agora, com a ajuda do Governo Federal será um Plano de Desenvolvimento Sustentável de Salgueiro e seu entorno

Salgueiro: A energia e a logística podem revigorar o Sertão pernambucano.

Estrategicamente bem localizado, o município de Salgueiro enxerga nos investimentos federais em energia e no reinício da transposição, caminhos para redenção econômica..
Por Marcelo Jorge - 06 De Agosto De 2019, 09:27 PM



Do ponto de vista geográfico, pouquíssimas cidades brasileiras podem usufruir do privilégio que o município pernambucano de Salgueiro tem. Localizada no Sertão Central, a 513 quilômetros da capital Recife, com uma população estimada no último censo em 59.409 habitantes, Salgueiro possui uma dinâmica, porém no momento estagnada, infraestrutura dependente entre outros fatores da conclusão da Transnordestina e da transposição do ‘Velho Chico’, que se concluída, abrirá novos horizontes e ampla visibilidade comercial para os habitantes do município sertanejo e do seu entorno.


A localização privilegiada do Estado de Pernambuco, para escoamento de produtos e de passageiros, assemelha-se proporcionalmente à de Salgueiro, uma das cidades nordestinas de potencial logístico mais notável na região. Percebe-se todos os dias a movimentação intensa de  expressivo número de caminhões de carga,  circulando por sua extensa malha rodoviária. Os veículos transportam produtos oriundos dos mais variados recantos do país e que visam abastecer vários Estados nordestinos. Desta forma, Salgueiro está intimamente conectada também a importantes malhas viárias de acesso ao interior da Bahia e Ceará.


FUTURO SOBRE OS TRILHOS


Um das características que otimizam esta vocação natural do município de Salgueiro é exatamente a redução dos custos de deslocamento, aliada a necessidade de interiorizar a economia do Estado e de integrar e baratear a logística de produção e escoamento no Nordeste, fazendo deste itinerário um atrativo para a Transnordestina. Baseado nestes fatores, foi elaborado um novo projeto econômico local. Desta forma, sendo base de operações da gigantesca Ferrovia, Salgueiro contempla agora a possibilidade de uma revolução industrial sem precedentes. Para fortalecer ainda mais essa dinâmica a megaconstrução possui sua própria pedreira instalada no município, com capacidade de produção de 5 mil metros cúbicos de brita por dia, o equivalente à produção de todas as pedreiras da Região Metropolitana de São Paulo. Complementando essa infraestrutura, Salgueiro conta com a maior fábrica de dormentes de concreto do mundo, com capacidade produtiva de 4.800 unidades por dia.


Desta forma, quando concluída a produção de dormentes, a locomotiva literalmente empurra os vagões com suas peças até a área em que os trilhos ainda não foram afixados. Desta maneira, a moderna Transnordestina se auto constrói, avançando com seus próprios trilhos pelo sertão.


A execução do projeto da ferrovia Nova Transnordestina, orçada em R$ 6,8 bilhões e de extensão de 1.728 quilômetros, mudará a face da economia do Sertão Central. Com sua ponta de linha em Eliseu Martins, no Piauí, a ferrovia abrirá um novo leque de opções para o escoamento da produção agrícola do interior do Nordeste. Em Pernambuco, ela irá atuar como um corredor de exportação, transportando a produção desde o Sertão do Araripe, bifurcando-se em Salgueiro, até o Complexo Portuário de Suape, no litoral. Esta ligação direta entre Zona Metropolitana e interior irá baratear os custos de transporte e fazer da ferrovia uma das principais vias comerciais do Brasil.


Além de sede industrial da Transnordestina, Salgueiro irá dispor de uma Plataforma Logística Multimodal. Tal construção representa um marco definitivo para a economia do Sertão Central. A Plataforma de 301 hectares será sede de várias operadoras logísticas e contará com uma Central de Cargas Rodoviárias, Distrito Agroindustrial, Terminal Ferroviário de Cargas, Centro Administrativo, Centro Comercial e, futuramente, com um Terminal Aéreo de Cargas, além de uma Estação Aduaneira Interior (EADI). O objetivo é fazer da cidade, além de grande polo de operações de transporte e distribuição, um centro de inteligência logística no Estado.


Outro investimento de grande porte e relevância para a Região será concretizado com a finalização do Eixo Norte da Transposição das águas do Rio São Francisco. Com isso, um antigo projeto de irrigação das terras do Sertão Central será realidade. A produção da agricultura familiar na Região, tão castigada pelos efeitos nefastos da estiagem, será viabilizada, bem como barateada, por programas de incentivo ao produtor rural.


QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL


Levando em conta a dimensão das rápidas mudanças em curso na Região e a necessidade de capacitar e profissionalizar mais pernambucanos, Salgueiro também se tornou palco de investimentos em ensino profissionalizante, a exemplo do recém implantado Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFPE campus Salgueiro),  Universidade de Pernambuco (UPE campus Salgueiro) e UNIVASF. Com investimentos em infraestrutura, logística, provisão hídrica para uso e produção, comércio e serviços e educação, Salgueiro caminha em direção a uma pujança e autonomia econômica nunca antes experimentada, guiando o Sertão Central em direção a um sublime e fascinante processo de desenvolvimento.


ENERGIA RENOVÁVEL


Entre outras ações, foram iniciadas recentemente as obras que levarão usinas Solares ao município. Do ponto de vista de energia “limpa” a empresa Canadian Solar anunciou recentemente, a obtenção junto ao Banco do Nordeste de um financiamento de R$ 295 milhões ou US$ 80 milhões para o parque solar Salgueiro. O empreendimento tem 114 MW e fica localizado no estado de Pernambuco. A usina é parte do portfólio de 478 MWp viabilizados nos últimos leilões de energia dos anos de 2017 e 2018. As usinas solares de Salgueiro devem conectar-se à subestação Bom Nome da Chesf, abrangendo uma área de cerca de 100 hectares de terra. Esse projeto, aguardado desde 2017, está tendo agora em 2019 seu início e andamento na divisa dos municípios de Salgueiro e Terra Nova


NOVO MOMENTO E NECESSIDADE DE PLATAFORMA MULTIMODAL


O que o município deverá buscar agora, com a ajuda do Governo Federal será um Plano de Desenvolvimento Sustentável de Salgueiro e seu entorno e desta forma viabilizar este potencial em um novo momento para milhares de famílias, habitantes não apenas do território urbano, mas da enorme região que o circunda.


Se espera que com a retomada da Transnordestina e transposição, saia enfim do papel o projeto da Plataforma Multimodal de Salgueiro que deveria ser projetos prioritários do Governo de Pernambuco, uma vez que a presença do modal ferroviário na região é condição número 1 para o desenvolvimento dos demais projetos. Vale lembrar que em 2008 um terreno do município de Salgueiro foi declarado como área de utilidade pública, para fins de desapropriação, através do Decreto nº 31.761, de 7 de maio de 2008 mas de lá para cá, não houve mais respostas dos governos que se sucederam.      


 



Compartilhar: