IMG-LOGO
Home > Política > SEM LIBERAÇÃO: Marcha pela família e contra as drogas ajuda a travar decisão de descriminalização

Política

Imagem: (WhatsApp) - Milhares de manifestantes foram às ruas neste domingo (03) pedindo ao STF que não liberem as drogas.

SEM LIBERAÇÃO: Marcha pela família e contra as drogas ajuda a travar decisão de descriminalização

Supremo Tribunal Federal só deve votar pela liberação das drogas em 2020
Por Marcelo Jorge - 03 De Novembro De 2019, 09:58 PM


A movimentação em todo o país neste domingo (03), denominado “Marcha pela família e contra as drogas” levou milhares de pessoas às ruas e praças de mais 70 municípios. Diferentemente das manifestações que reivindicam diversas pautas e implementação de políticas públicas abrangentes, o movimento deste domingo foi mais específico e alertava a sociedade para o risco do STJ descriminalizar as drogas, sob a alegação de grupos que atribuem efeitos medicamentosos à maconha e a liberação do chamado “uso recreativo”.
Na maioria das marchas deste domingo, as famílias portavam cartazes e faixas e muitas traziam carros de som utilizados para discursos contra as drogas e defesa da juventude.

Levado pela retomada do julgamento sobre a prisão em segunda instância e também motivado pela repercussão negativa nas mídias sociais da liberação das drogas, o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, já anunciou na última segunda-feira (28) o adiamento automático da definição do porte de drogas para consumo próprio ser crime ou não. Inicialmente a pauta iria ser votada nesta quarta (06) e com a decisão deve ir a plenário só em 2020.

Essa já é uma vitória para as famílias, também fruto das pressões populares. Apesar de não haver a participação efetiva de investimentos ou bens públicos na “Marcha contra as Drogas”, diversos membros do governo e do legislativo federal se solidarizaram com as famílias e mandaram recados de incentivo aos manifestantes, à exemplo do próprio presidente Jair Bolsonaro; da primeira dama Michelle Bolsonaro; do chefe da casa Civil Ônix Lorenzoni; dos Ministro Osmar Terra e Damares Alves; dos deputados federais Eros Biondini e Eduardo Bolsonaro entre outros.

Segundo o Assessor da SENAPRED, Edu Cabral, foi o maior movimento já realizado no país contra as drogas. Para o Dr. Quirino Cordeiro, Secretário Nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas, o movimento nascido nas ruas e propagado pela internet e por alguns poucos veículos de comunicação, mostra que o Brasil é conservador e pelo menos este ano o STF não vai mexer na pauta da descriminalização, garantindo um Natal mais tranquilo para as famílias.


Compartilhar: