IMG-LOGO
Home > Economia > PORQUE SINDICALISTAS LAMENTAM? REFORMA TRABALHISTA GEROU PERDA DE QUASE 90% DA ARRECADAÇÃO NA RECEITA DOS SINDICATOS

Economia

IMAGEM: Foto: Internet

PORQUE SINDICALISTAS LAMENTAM? REFORMA TRABALHISTA GEROU PERDA DE QUASE 90% DA ARRECADAÇÃO NA RECEITA DOS SINDICATOS

Esse efeito para os sindicatos foi devastador, no entanto para os trabalhadores passou a ser a liberdade de opção de verem ou terem os seus salários descontados, mesmo sem suas autorizações.
Por Marcelo Jorge - 05 De Março De 2019, 12:53 PM


Uma das consequências da revolução industrial no mundo foi a criação dos Sindicatos de trabalhadores, que inicialmente tinham o único objetivo de reunirem-se para discutir a defesa das conquistas da categoria. Com o passar dos anos no Brasil, essas associações passaram a ser utilizadas para a prática de política partidária e consequente trampolim para o nascimento de ‘lideranças’ que implantaram práticas comunistas de forma explícita no interior dos sindicatos, os trabalhadores passaram a ser investidores de fundos partidários e o principal objetivo destas lideranças passou a ser o fortalecimento partidário bem com o aparelhamento ideológico em todas as instâncias.

Com a aprovação da Reforma Trabalhista contendo em uma das suas cláusulas o fim da obrigatoriedade da contribuição sindical, os sindicatos que utilizam-se da prática citada, se veem hoje em uma situação de mais dificuldades para sua manutenção.

Dados oficiais mostram que em 2018, primeiro ano cheio da reforma trabalhista, a arrecadação do imposto caiu quase 90%, de R$ 3,64 bilhões em 2017 para R$ 500 milhões no ano passado. A tendência é que o valor seja ainda menor neste ano.
Esse efeito para os sindicatos foi devastador, no entanto para os trabalhadores passou a ser a liberdade de opção de verem ou terem os seus salários descontados, mesmo sem suas autorizações.
O impacto foi maior para os sindicatos de trabalhadores, cujo repasse despencou de R$ 2,24 bilhões para R$ 207,6 milhões. No caso dos empresários, foi de R$ 806 milhões para R$ 207,6 milhões. O antigo Ministério do Trabalho - cujas funções foram redistribuídas entre diferentes pastas -, teve sua fatia encolhida em 86%, para R$ 84,8 milhões .
O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC teve seus recursos obtidos por meio do imposto reduzidos de R$ 5,94 bilhões em 2017 para R$ 46 milhões no ano passado.

No Brasil, abrir um sindicato é um negócio (e dos mais lucrativos). Segundo dados do Ministério do Trabalho, nada menos do que um em cada cinco sindicatos do Brasil nunca participaram de uma negociação coletiva. O que significa, em outras palavras, que nunca atuaram para representar aqueles que os financiam.
Desta forma chega ao fim o controle dos sindicatos sobre o dinheiro do trabalhador!

(Com informações do Site www.eusouazul.com)


Compartilhar: